Casa própria é o sonho maior de quase todo brasileiro. Seja para morar, ou como investimento, o imóvel próprio é a “menina dos olhos” do mercado financeiro brasileiro, que prefere esse tipo de investimento mais conservador. Contudo, após realizar esse sonho, muitas famílias e investidores ficam na dúvida se é melhor reformar um imóvel ou se é melhor vender e comprar um novo, depois de alguns anos. Isso mesmo quando o imóvel é para investimento.

Conversamos com alguns especialistas do ramo imobiliário, e ouvimos a opinião deles sobre quais situações é melhor reformar o imóvel, e quais situações é melhor vender o imóvel, desbancando também alguns mitos sobre esse tipo de investimento.

Imóvel antigo é melhor vender do que reformar: mentira!

O valor de um imóvel tem influencia de vários fatores, não apenas a sua idade. Apesar de reformas em apartamentos e casas antigas serem mais bem mais caras do que em um apartamento ou casa nova, um imóvel bem localizado, e grande, pode ser muito valorizado após uma reforma. Há outros casos, por exemplo, quando o bairro perdeu infraestrutura ao passar dos anos, em que vender o imóvel pode ser melhor negócio do que reformar. O proprietário deve ter consciência de que não há uma só resposta, e quando alguém afirma que vender imóvel é melhor do que reformar, essa pessoa está é falando uma bela besteira, sem analisar qualquer detalhe do cenário.

Como decidir? Essa decisão é muito subjetiva. O imóvel tem valor sentimental para você e para a família? Como está o mercado de imóveis hoje? Tem pressa em vender? Tudo deve ser considerado, antes de achar que um imóvel antigo deve ser vendido de qualquer jeito.

Para vender um imóvel, faça reparos, não faça reformas

Se sua intenção é vender o imóvel, e quer fazer uma reforma antes disso, não faça a reforma: faça reparos. Chame um engenheiro, converse com ele, e peça que ele enumere os principais problemas do apartamento ou casa. Foque em resolver esses problemas, e comunique ao futuro comprador todos os reparos que foram realizados antes da venda. Não se esqueça de fazer um contrato com o engenheiro, descrevendo tudo que está sendo reparado. Isso dá uma garantia também ao futuro comprador do imóvel que os reparos serão consertados se apresentarem problemas.

Em resumo: reparos são mais baratos, e deixarão sua casa ou apartamento mais perto do máximo de revenda possível, sem ter que perder dinheiro com reformas extensas e custosas.

Aspectos da decisão de reforma ou venda de imóvel

A decisão de reformar ou vender um imóvel não deve passar apenas por uma decisão financeira. Vários fatores devem ser considerados antes de tomar a decisão final, com planejamento, e racionalmente. (Foto: www.redfin.com)

Reformar ou vender o imóvel: como é seu bairro?

Como você se sente sobre o seu bairro? É um lugar que você gosta? E sobre os vizinhos? E sobre amenidades (transporte, restaurantes, supermercados, etc)? Você está feliz seus filhos indo para as escolas mais próximas?

Em suma, certifique-se de que o bairro é exatamente o que você procura. Você sempre pode corrigir uma casa ou apartamento, mas você não pode consertar um bairro inteiro sozinho.

O valor sentimental das coisas: seu lar

Existe alguma qualidade intangível para a sua casa ou apartamento? Um lar tem um significado que vai muito além de simplesmente fornecer abrigo. Pode ser que o imóvel é de sua família há gerações, ou a idade do imóvel dá a ele um valor inestimável. Talvez mesmo o design ou alguma outra qualidade, um imóvel tem um valor subjetivo muito maior do que imaginamos. Expandir, renovar, e adaptar esses imóveis são caminhos seguros para manter esse significado vivo para as gerações futuras.

Vale a pena reformar o imóvel? Os custos!

Será que a renovação faz sentido econômico? Há uma série de fatores que pesam quando se trata desta questão. Se você está reformando, há não só o custo das renovações. Há vários custos associados, tais como alojamento temporário, enquanto a casa está em reforma, surpresas desagradáveis durante a reforma, como descobrir ninhos de animais debaixo do seu telhado, alvarás, projeto do engenheiro/arquiteto, etc. Uma reforma tem um alto custo pessoal também, pois é cansativa e pode deixar os familiares loucos e completamente exauridos, mentalmente e fisicamente.

 

Quando o imóvel só vale o terreno onde está

Será que a casa existente tem uma boa estrutura? E o apartamento? Não é todo imóvel que é um bom candidato para uma reforma. Embora possa haver uma razão para reconstruir uma casa antiga, pequena, cheia de memórias, uma casa de mais de 20 anos, com uma fundação falha ou outro defeito significativo, pode não ser um bom candidato à reforma, assim como um apartamento irregular pode não valer a pena reformar e regularizar. Peça a um profissional para fazer uma avaliação da residência, com todos os defeitos e qualidades, bem como a viabilidade financeira das reformas e possível regularização do imóvel.

Aspectos legais da reforma de um imóvel

Se sua casa ou apartamento é mais velho, ele pode ter sido sido construído sob regras diferentes das atuais, e cada reforma ou mudança enfrentar grandes dificuldades. Principalmente em questões de adaptação do imóvel para atender às normas de prevenção à acidentes e incêndios, e na hora de renovar a rede elétrica do apartamento ou casa, é que a situação se complica, devido à necessidade de licenciamento pela prefeitura.

Veja alguns vídeos que podem te ajudar a decidir:

Paciência com a reforma ou prefere trocar para algo que já tem mais sua cara?

Deixe eu explicar uma coisa: eu sou um dos caras mais calmos e de boa com a vida que conheço. Depois de ficar quase 6 meses em obras em casa, eu descobri um lado amargo de mim que não conhecia. O que isso ensina aos outros?

Você pode achar que está tranquilo com a ideia de uma reforma em sua casa ou apartamento, mas não é assim. Principalmente em apartamentos antigos, vão surgir problemas que você sequer imaginava. Só para você ter uma ideia, tive que remover mais de 8 toneladas de entulho do meu apartamento porque o piso da cobertura foi feito com material pesado demais, e errado. Isso tomou uma semana de obras, e nem eu, nem o engenheiro, esperávamos por isso. Em uma reforma, coisas desse tipo são completamente normais.

Mas comprar um imóvel novo não é só maravilhas. Podem acontecer atrasos, mesmo na entrega de imóveis usados. Então vá com calma, e decida bem se você está tentando fugir de uma reforma que pode trazer um bom valor para sua casa ou apartamento, ou se é mesmo hora de procurar um imóvel novo.

Usando a racionalidade para decidir sobre a reforma ou venda de um imóvel

Se você só quer pensar no imóvel como um investimento, a seguinte fórmula pode te ajudar a decidir:

Quando a reforma tiver um orçamento acima de 50% do valor do imóvel, é melhor fazer apenas reparos de até 20% do valor do imóvel e vender.

Quando a reforma tiver um orçamento de 30% a 50% do valor do imóvel, é melhor fazer a reforma, e decidir depois sobre a venda ou não.

Quando a reforma tiver um orçamento de até 30% do valor do imóvel, faça a reforma, e seja feliz com o imóvel.

Você já reformou ou vendeu um imóvel? Como tomou essa decisão?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)