Todo tipo de financiamento vai envolver alguma burocracia. Além disso, você precisa atender a alguns requisitos, principalmente para os financiamentos da CAIXA. Não é tão difícil atender a tais requisitos. Porém, estar preparado para eles vai agilizar o processo de obter o financiamento de imóvel pela CAIXA.

O que eu preciso para financiar um imóvel pela CAIXA?

RG/CPF. Preferencialmente, um documento com foto com menos de 5 anos de expedição. Há agências que podem exigir a atualização dos documentos, principalmente se estiverem danificados.

Comprovante de endereço. Contas de serviços públicos, como água, luz e telefone com, no máximo, 90 dias desde sua expedição.

Comprovante de estado civil. Certidão de casamento, atestados de divórcio, atestados de óbito para cônjuge. Obtenha estes documentos ou atualize seu estado civil antes do financiamento, principalmente no caso de união estável que precisa se regularizar.

Comprovante de renda. Holerite, contrato de prestação de serviços, declaração do Imposto de Renda, declaração do sindicato da categoria, recibo de recebimento de trabalhos prestados. A Declaração Comprobatória de Recepção de Rendimentos (Decore), feita por um contador não tem sido aceita em alguns bancos como forma de comprovação de renda. Trabalhador informal receberá do gerente uma orientação sobre os documentos necessários para comprovação de renda.

Certidão conjunta negativa de débitos relativos a tributos federais e dívida ativa da união.

Certidão negativa de propriedade do imóvel. Necessário para quem pretende utilizar recursos do FGTS ou financiamento dentro do Plano Minha Casa, Minha Vida.

Os documentos que o vendedor precisa para o imóvel e que possibilitam o financiamento pela CAIXA são:

Matrícula atualizada acompanhada das certidões negativas de ônus reais e de ações reais reipersecutória.

Registro do imóvel.

Cópia do contrato de promessa de compra e venda.

Comprovação de inexistência de débito de condomínio, quando for o caso.

Certidão Negativa do IPTU.

Avaliação do imóvel realizada por engenheiro credenciado pela CAIXA.

Importantes passos de financiar pela CAIXA

A documentação para financiar seu imóvel pela CAIXA é fácil de obter. Difícil é a parte de planejar a compra do imóvel certo para seus sonhos e seu bolso. (Foto: caixa.gov.br)

Além dos documentos que listamos acima, o comprador de imóvel pela CAIXA precisa entender e atender à alguns requisitos para não ser surpreendido na hora de assinar o contrato.

Limpe seu nome no SPC ou SERASA antes de tentar o financiamento. Muitas pessoas tentam o financiamento sem antes saber qual a sua reputação de crédito no mercado, apenas para descobrir no banco que não podem obter um financiamento pela CAIXA porque tem o nome sujo no SPC ou SERASA. Nome sujo significa que você não pagou alguma dívida ou houve algum erro de alguma empresa em “sujar” seu nome. Descubra a causa e limpe seu nome pois a CAIXA não dá crédito a quem tem o nome sujo.

Comece um relacionamento com a CAIXA

Quem tem conta na CAIXA paga menos juros. Quem tem conta salário na CAIXA paga menores juros ainda. Vale a pena e você ainda estabelece uma relação com um dos maiores bancos brasileiros.

Entenda os diferentes sistemas de financiamento da CAIXA

São dois sistemas usados: o SAC e a Tabela PRICE. No primeiro, as prestações de amortização e juros são periódicas, sucessivas e decrescentes, ou seja: você paga menos nas parcelas a cada mês. O valor da prestação é composto por uma parcela de juros e outra parcela de amortização, que permanece constante, salvo quando você faz pagamentos extras durante o financiamento, quando o valor das parcelas então cai. Na Tabela PRICE, a amortização mensal é menor e os juros maiores. É possível também “amortizar” o financiamento. Porém, no sistema PRICE, você estará reduzindo o número de parcelas, não o valor das mesmas, já que estas tem o mesmo valor durante todo o financiamento.

Não existe um sistema melhor ou pior. O que você precisa analisar é o pagamento no menor tempo possível, de forma a fugir o máximo possível dos juros. No sistema PRICE, no geral, você paga mais juros, mas pode organizar suas finanças com um planejamento exato, além de começar com parcelas mais acessíveis. É possível também, geralmente, financiar uma parcela maior do imóvel pelo PRICE. Já no SAC, você paga menos juros, mas começará com parcelas maiores e precisa de uma renda maior para obter o financiamento de imóveis. Este é ideal para quem pretende amortizar a dívida durante o financiamento do imóvel, pagando a mais durante alguns meses.

Entender estes dois sistemas e escolher antes de ir até a CAIXA pode te poupar centenas de reais em juros.

Escolha o tipo de financiamento certo para você

A caixa tem a possibilidade de financiar os seguintes tipos de projetos imobiliários:

  • Aquisição de imóvel Novo/Usado, financiando até 80% da construção, reforma ou aquisição do seu imóvel;
  • Financiamento para Construção em Terreno Próprio;
  • Financiamento para Aquisição de Terreno e Construção.

Cada um destes financiamentos tem exigências específicas. Por exemplo, a partir do valor de imóvel X, o comprador pode ter que dar uma entrada maior do que 30%. No caso de imóveis mais caros, inclusive, a entrada pode chegar a até mais de 60%. Por isso, usar o simulador habitacional CAIXA no site do banco pode ser um bom ponto de partida para te deixar a par das suas possibilidades e entender os limites de seu financiamento. Por exemplo, você pode descobrir que não tem acesso a crédito suficiente para adquirir um terreno e construir uma casa, mas tem acesso a crédito suficiente para comprar um imóvel usado. Considere também seu valor de FGTS para pagar o imóvel.

Leve em consideração os custos extras do financiamento

Seguros, taxa de administração, custos com despachantes, documentos, comissões para corretores imobiliários, registro do imóvel, ITBI. Com a exceção da comissão do corretor, todos os outros valores são pagos pelo comprador do imóvel. Se ele receber a doação de recursos para a compra do imóvel, ainda precisará pagar o ITCD estadual. Tanto o comprador quanto o vendedor devem separar algo em torno de 10% do valor total do imóvel a ser financiado para taxas, comissões e impostos.

Escolha seu imóvel

Pode parecer surpreendente, mas escolher o imóvel é uma das últimas etapas para que você realize o sonho da casa própria. É a última etapa por muitas razões, mas a mais importante delas é tornar seus sonhos mais realistas. Como assim?

A maioria das pessoas que quer financiar um imóvel quer uma mansão ou uma casa em um bairro chique. Alguns são mais modestos, procurando algo mais dentro da realidade, mas encontram obstáculos nos preços mais caros do “imóvel dos sonhos”. Passar por todo o processo de ver quanto você pode financiar, obter a documentação, entrar em contato com corretores imobiliários e mais vai te colocar mais focado no que você pode pagar. Talvez você veja que é preciso vender o carro da família para dar uma entrada no imóvel dos sonhos. Ou talvez você precise de mais algum tempo para economizar uma grana extra para a entrada no imóvel. Seja qual for seu caso, você precisa do tempo se dedicando ao planejamento da compra antes de escolher sua compra. Só assim, você estará garantido de obter o imóvel dos seus sonhos e no preço que você pode pagar.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)