Acessibilidade, o que é?

Escrito na categoria "Construir e reformar" por André M. Coelho.

Obtenha um especialista em acessibilidade para auditar a acessibilidade do seu prédio a cada 3 anos, ou mais regularmente, se necessário. Você poderia pedir a um colega que está muito familiarizado com um desses documentos para auditar a acessibilidade do seu prédio, ou você pode encontrar um especialista fora de sua organização:

Isso lhe dará conselhos priorizados sobre problemas de acessibilidade em seu prédio e conselhos práticos sobre como resolver esses problemas. Um bom especialista em acessibilidade geralmente poderá sugerir soluções acessíveis. Mas o que você pode fazer para trabalhar a acessibilidade na sua construção e seus diferentes tipos?

Acessibilidade: o que é?

É basicamente um quesito que influencia a facilidade de acesso a uma construção por parte de um portador de necessidades especiais. Geralmente está relacionado a pessoas com deficiências visuais e dificuldade de locomoção, mas a acessibilidade engloba muito mais. Ela engloba também idosos, deficientes auditivos, e mais.

O objetivo da acessibilidade, em uma construção, é fornecer uma maneira simples de listar e explicar os recursos e instalações de um edifício, que devem ser mantidos e / ou melhorados para garantir o acesso para todos. Para isso, é preciso desenvolver um manual de acessibilidade que inclua:

Informações básicas sobre acessibilidade

Como chegar ao prédio, incluindo informações sobre o transporte público local e sua acessibilidade

Informações sobre instalações acessíveis, tais como:

Elevadores

Sanitários acessíveis

Espaços de estacionamento acessíveis

Diretrizes para sinalização acessível

Responsabilidades de gerenciamento

Um modelo de auditoria de manutenção

Plano de evacuação para emergências.

A equipe que trabalha nas áreas relevantes deve se referir – e atualizar – seu manual de acesso durante o trabalho.

Como manter a acessibilidade nos edifícios

Acessibilidade para deficientes fora da construção

Certifique-se de que os espaços de estacionamento para pessoas com deficiências são acessíveis. Verificar:

Que os espaços de estacionamento e pontos de drop-off são mantidos claros para pessoas que precisam deles

A superfície e a iluminação em torno do edifício e nos caminhos que os clientes usam para chegar ao prédio.

Que a porta de entrada principal é projetada corretamente, e que pelo menos uma entrada é acessível se a entrada principal não for acessada.

Rampas e degraus merecem um cuidado especial. Se quaisquer áreas de serviço público tiver declives que são mais íngremes do que 1:20, certifique-se de que degrays e rampas estejam disponíveis, e que elas sejam projetadas corretamente com a inclinação apropriada.

Rampa de acessibilidade a prédio

Uma rampa é um bom exemplo de acessibilidade construída para cadeirantes. (Imagem: The Commonwealth Times)

Acessibilidade arquitetônica de escadas, elevadores, corredores e portas

Evite colocar degraus dentro de um andar em um prédio, sempre que possível. Onde s degraus são necessários, forneça um elevador de rampa ou plataforma conforme apropriado.

Forneça elevadores acessíveis em todos os novos edifícios que têm mais de um andar. Certifique-se de que os elevadores são projetados para as principais diretrizes de prática. Verifique a operação de elevadores regularmente e mantenha os elevadores sempre iluminados.

Sobre corredores e portas, verifique se não são obstruídos por móveis, máquinas ou qualquer outra coisa. As portas são mantidas abertas, sempre que possível. Portas fechadas são fáceis para os clientes abrirem e portas devem ser largas o suficiente para todos os clientes.

Acessibilidade no banheiro

O banheiro deve ter elementos acessíveis como apoios e um vaso sanitário adaptado aos portadores de necessidades especiais. (Imagem: Buildings Magazine)

Sinais e avisos para acessibilidade

Edifícios públicos devem ter sinais para que seus clientes entendam onde precisam ir. Os sinais devem:

Ser projetados de acordo com as diretrizes das melhores práticas

Estar em braille ou letras em alto relevo sempre que possível

Ter escrita que é grande o suficiente para seus clientes lerem

Usar símbolos apropriados

Não ser feitos de forma caseira.

Eles devem ser colocados onde podem ser facilmente acessados ou vistos, sem obstruir os caminhos.

Cozinha adaptada para deficiente

A cozinha ou o refeitório precisam de espaços mais largos para a passagem de cadeiras, proporcionando um espaço mais acessível. (Imagem: Buildings Magazine)

Acessibilidade nas áreas de recepção e salas de espera

Áreas de recepção de serviço público e salas de espera devem ser projetadas, e mantidas, para orientação de melhores práticas.
Fornecer assentos projetados corretamente. Uma mistura de tipos e tamanhos de assentos é melhor. Alguns clientes podem precisar usar os repousos de braço, e alguns podem encontrar o repouso de braço meio desajeitado. Forneça um sistema de áudio em pelo menos uma sala de reuniões acessível.

1. Interfones, Sistemas de Filas, e Informações

Considere como você informará os clientes que eles são próximos na fila. Lembre-se que alguns clientes podem não ser capazes de:

Ler informações visuais

Ouvir informações de áudio ou avisos sonoros

Pegar bilhetes ou atender ao interfone que sejam muito altos, muito baixos ou desajeitados para alcançar

Entender linguagem complicada ou jargões.

Planeje a localização, a saída e a linguagem de seus interfones, sistemas de filas, ou mesas de informações cuidadosamente.

Se o seu interfone, sistema de filas ou mesa de informações estiver inacessível para alguns de seus clientes, sua equipe pode ajudar falando – ou dando informações escritas – para os clientes.

Acessibilidade de banheiros

Se você fornecer banheiros para o público, forneça banheiros que os clientes com deficiências podem usar. Siga as melhores orientações de prática cuidadosamente.

Forneça um sistema de alarme em seus banheiros acessíveis e testá-lo regularmente para garantir que um membro da equipe ajude alguém em uma emergência.

Certifique-se de que os toaletes acessíveis não são usados ​​para armazenar equipamentos de limpeza, entregas ou qualquer outra coisa.

Forneça sanitários em banheiros acessíveis, e coloque-os onde não obstruirá os usuários de cadeira de rodas.

Design de interiores para acessibilidade

A luz em seus edifícios deve ser distribuída uniformemente. Não deve haver grandes variações nos níveis de iluminação e a luz não deve ser muito brilhante ou muito escura. Evite que a superfície brilhante, brilhante e polida termine e mantenha reflexos, sombras e reflexo ao mínimo.

Use diferenças de cor e intensidade de cor para criar contraste visual. Que ajudará os clientes com deficiências de visão a:

Distinguir entre paredes e pisos é importante como cores e designs bem claros.

Distinguir entre fundos e acessórios de portas

Evitar perigos desnecessários dentro da construção.

Encontre o caminho ao redor do prédio.

Auditar a acessibilidade do seu prédio a cada 3 anos é importante para manter sua construção acessível. Após cada auditoria, desenvolva um plano de implementação para atender a cada problema que o relatório identifica. Crie um manual de acesso, com base no modelo de organizações nacionais e nas Normas da ABNT.

Ficou alguma dúvida? Deixem nos comentários suas perguntas!

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

A mãe de André sempre gostou de fazer reformas na casa que tem em um sítio. André aprendeu com ela, e quando comprou seu apartamento, começou a projetar, reformar, e adaptar diversas coisas que não gostava. Como síndico do prédio, convenceu os moradores a trocar a rede elétrica da década de 70, trocar os extintores por modelos mais seguros, e adaptar as escadas do prédio com corrimões mais seguros. Hoje está com um projeto de um imóvel na zona rural, compartilhando no site 2 Quartos tudo que vai aprendendo sobre reformas, construção, e mercado imobiliário.

Deixe um comentário