Alugar um imóvel envolve uma grande burocracia. Nessa burocracia, uma das figuras mais importantes é a do fiador. Apesar de existirem opções, como o seguro fiança e o cheque caução, o fiador é ainda muito procurado, sendo também uma das formas mais vantajosas para facilitar o aluguel de um imóvel. Afinal, não envolve custo algum para o futuro locatário, mas envolve riscos para quem assume esse papel de fiador.

O problema é que é um pouco difícil encontrar um fiador. Isso porque ele precisa ter um perfil especial e específico para poder se tornar o fiador em um contrato. Quem pode ser um fiador? É o que vamos tentar esclarecer.

O que é fiador?

Fiador é um indivíduo ou empresa que assume uma dívida em seu nome caso você não cumpra com suas obrigações financeiras. No caso do aluguel, caso você tenha um fiador e não pague seu aluguel, o locador poderá cobrar esses valores do fiador e, inclusive, penhorar bens do fiador para cobrar a dívida assumida pelo inquilino.

Quem pode ser fiador de aluguel?

Contudo, não é qualquer pessoa que pode ser um fiador de aluguel. Para se tornar um fiador, a pessoa precisa ter um imóvel quitado em seu nome na mesma cidade em que o inquilino pretende alugar o imóvel e uma renda mensal de 3 a 4 vezes maior do que o valor do aluguel, comprovando que poderá arcar com a dívida. Porém, em alguns casos a imobiliária abre exceções para imóveis em outras cidades, caso a renda da pessoa que está querendo ser fiador seja o suficiente para arcar com a dívida do inquilino, se houver algum imprevisto.

Resumindo, um fiador tem que:

Possuir renda 3 a 4 vezes superior ao valor do aluguel, IPTU e condomínio pagos pelo inquilino

Possuir imóvel próprio quitado na cidade onde o inquilino está alugando o imóvel (preferencialmente)

Fiador de aluguel

Aprenda quem pode ser fiador de aluguel para limitar sua procura para as pessoas certas. (Foto: Wix.com)

Como ser fiador?

Ser fiador é algo que tem de ser pensado muito bem antes de ser efetivado. Os riscos financeiros e judiciais de ter de arcar com as dívidas de um inquilino são muito altos e podem resultar em até um imóvel penhorado para pagar dívidas no caso de se tornar um responsável subsidiário ao invés de responsável solidário no contrato. A diferença é simples: como subsidiário, o fiador só responde pela dívida depois de executados os bens do inquilino. No solidário, o processo é diferente e os bens de ambos podem acabar penhorados para pagar a dívida. Saiba ser um fiador escolhendo o tipo certo de responsabilidade para não ter consequências negativas.

Cuidados com o contrato e o fiador

O fiador pode deixar de ser responsabilizado caso locador e locatário façam mudanças no contrato sem comunicá-lo. É possível também a troca do fiador por um outro tipo de garantia como o seguro fiança ou cheque caução. O fiador pode também ser alterado quando o fiador original falecer ou declarar insolvência financeira.

Fiadores casados precisam que o cônjuge concorde com a fiança, assim como também precisam assinar o contrato de locação. No caso de fiador pessoa jurídica, é necessário que o contrato social da empresa permita que ela assuma a responsabilidade como fiadora.

Esperamos que não haja dúvidas sobre quem pode ser um fiador, mas se você tiver qualquer dúvida ou quiser fazer qualquer pergunta, deixem nos comentários!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)