Qual a lâmpada mais econômica? Com o advento das lâmpadas LED, essa questão tem sido perguntada cada vez mais ao redor do mundo. E no Brasil, com a proibição das lâmpadas incandescentes, ficamos cada vez mais próximos de um cenário onde teremos apenas as lâmpadas LED e fluorescentes para nossas cadas. Mas como comparar essas lâmpadas? Será que a LED é mesmo a mais econômica sempre?

Diferença de consumo e características das lâmpadas LED e fluorescente

Lâmpadas fluorescentes funcionam de forma diferente do que as lâmpadas incandescentes porque conduzem uma corrente elétrica através de um tubo que contém argônio e vapor de mercúrio, ao invés de aquecer um fio, como nas lâmpadas incandescentes. Este processo cria luz ultravioleta que forma a luz visível, ao contrário de luzes incandescentes que formam um brilho quente.

A grande diferença entre lâmpadas fluorescentes e lâmpadas incandescentes é a quantidade de energia necessária para usá-las ao longo do tempo. Fluorescentes usam 70% menos energia do que lâmpadas incandescentes, e o valor é semelhante ao das incandescentes.

Uma das maiores desvantagens de lâmpadas fluorescentes é que leva alguns momentos para elas aquecerem e atingirem o brilho total. Isso significa que elas não são ideais em lugares onde você quer muita luz logo que você ligar o interruptor, como uma escada escura. Elas também não podem ser usadas com um interruptor dimmer. Além disso, as Lãmpadas fluorescentes modernas contêm uma pequena quantidade de mercúrio, que é muito prejudicial para a sua saúde e ao meio ambiente, e que essas lâmpadas não devem ser eliminadas em um lixo normal.

Diferenças entre LED e fluorescente

Dentre os vários tipos de lâmpadas existentes, as lâmpadas LED e fluorescentes tem uma posição de destaque, e merecem essa posição pois oferecem o melhor custo e benefício aos consumidores. (Foto: Feit Electric)

As lâmpadas LED funcionam juntando correntes com carga positiva e negativa para criar uma energia liberada sob a forma de luz. O resultado é uma fonte rápida de luz que é confiável, instantânea e capaz de ter sua potência controlada. O que coloca as lâmpadas LED acima das lâmpadas incandescentes e fluorescentes é a duração da lâmpada: elas podem durar de 20.000 a 50.000 horas, ou até cinco vezes mais do que qualquer lâmpada comparável no mercado.

Mas essa combinação de eficiência e durabilidade tem um custo. LEDs custam mais dinheiro do que lâmpadas fluorescentes compactas e lâmpadas incandescentes. A boa notícia, no entanto, é que seu preço vem caindo consideravelmente ao longo dos anos, e a tendência é que continue assim.

Lampadas econômicas: equivalência de custos das lâmpadas fluorescentes e lâmpadas LED

Quando a maioria das pessoas precisa substituir suas lâmpadas, o custo é o maior fator em sua decisão. Mas o custo real inclui mais do que apenas o preço inicial de cada lâmpada que você compra, pois você também deve considerar o quanto cada opção vai custar para operar ao longo dos anos. Comprar uma lâmpada de qualidade que dura décadas, por exemplo, é menos caro a longo prazo do que comprar uma dúzia mais baratas que queimam com frequência.

E depois há o custo da eletricidade usada para acender a lâmpada: Os preços dos serviços públicos variam de acordo com o estado e a época, é claro, e tanto as lâmpadas fluorescentes quanto as lâmpadas LED usam consideravelmente menos eletricidade do que as lâmpadas tradicionais.

Vamos ver uma comparação de custos entre 3 lâmpadas diferentes: incandescente, fluorescente, e LED. Só para constar, usamos valores arbitrários para o custo das lâmpadas, mas o preço de cada uma está proporcional à real diferença de valor das lâmpadas pelos últimos anos.

Lâmpada incandescente: custo de R$1 por lâmpada, com duração média de 1200 horas e consumo de 60 watts. São 21 lâmpadas necessárias para 25.000 horas de uso, totalizando um custo de R$21 durante 23 anos, e um custo total de eletricidade de R$180, para um kWh custando R$0,12. Em 23 anos, o custo total será de R$201.

Lâmpada fluorescente: custo de R$2 por lâmpada, com duração média de 8000 horas e consumo de 14 watts. São 3 lâmpadas necessárias para 25.000 horas de uso, totalizando um custo de R$6 durante 23 anos, e um custo total de eletricidade de R$42, para um kWh custando R$0,12. Em 23 anos, o custo total será de R$48.

Lâmpada LED: usto de R$8 por lâmpada, com duração média de 25000 horas e consumo de 10 watts. 1 lâmpada é necessária para 25.000 horas de uso, totalizando um custo de R$8 durante 23 anos, e um custo total de eletricidade de R$30, para um kWh custando R$0,12. Em 23 anos, o custo total será de R$38.

Lampadas LED realmente são econômicas

Agora considere que as economias acima são para apenas uma lâmpada. Multiplique essas economias para todas as lâmpadas da casa. Consegue ver a economia de longo prazo ao comprar lâmpadas LED? Você ainda pode aumentar a economia inicial trocando apenas as luzes mais usadas em casa por lâmpadas LED e deixando as demais serem trocadas apenas quando queimarem.

Lampada mais econômica: LED ou fluorescente?

Se você ainda não está satisfeito com a comparação, vamos simplificar entre prós e contras as duas lâmpadas mais populares:

Fluorescentes: usam menos energia do que lâmpadas incandescentes, tem um custo inicial inferior ao das lâmpadas LED, produz luz extremamente brilhante que se espalha uniformemente. Não pode ser usada com um interruptor dimmer, demora um pouco para aquecer e alcançar o brilho completo, contém mercúrio, e pode ser sensível a temperaturas frias.

LED: ilumina imediatamente, como uma lâmpada incandescente. Não aquecem muito depois de acesas, como incandescentes e fluorescentes. Tem até cinco vezes mais duração do que fluorescentes, sem sensibilidade a temperaturas frias, não contém mercúrio. Podem ser usadas com interruptor dimmer. É, porém, uma luz direcional, que não se espalha tão uniformemente quanto outras, e tem um custo inicial maior do que fluorescentes.

Qual lâmpada comprar?

Lâmpadas LED, sempre. Não só os preços ficam mais acessíveis a cada dia, como elas também duram até décadas mais do que a concorrência. Com a possibilidade de ter várias cores de LEDs, e a capacidade de usar alguns modelos com um interruptor dimmer, são simplesmente uma opção melhor para sua casa do que fluorescentes.

Troque devagar suas lâmpadas

Substitua lentamente as lâmpadas queimadas por lâmpadas LED. Vá trocando a iluminação devagar, para não ter um impacto muito grande nas suas finanças. Na hora de comparar as lâmpadas, não compare a potência ou equivalência que está na caixa da lâmpada: compare a intensidade luminosa, que é um valor dado em lúmens. Quanto mais alto esse valor, mais potente é a lâmpada. Esse valor é mais preciso para te dar a potência real da lâmpada.

Você está substituindo as suas lâmpadas por LEDs? Ou ainda prefere fluorescentes? Como está fazendo para economizar na iluminação de casa?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)