Casa de pau a pique: o que você precisa saber?

Escrito na categoria "Construir e reformar" por André M. Coelho.

A construção natural, tão antiga quanto as antigas moradias de pedras e tão universal quanto os ninhos de abelha. Este tipo de construção natural era a norma até algum momento nos últimos 200 anos. Os projetos de habitação exclusivos de cada civilização, sejam iglus, chalés de madeira ou as casas de pau a pique, surgiram dos recursos que grupos de pessoas tinham em mãos. Isso contrasta fortemente com as nossas moradias modernas, que se tornaram cada vez mais especializadas, modernizadas e industrializadas. Da mesma forma, a conexão que temos com o processo de criação de nossas casas tornou-se mais tênue, mais fraca e menos valiosa.

Parte da ideia de que as funções de uma casa cumprem as mesmas funções que nossos corpos proporcionam ao nosso espírito:

Estrutura

Uma temperatura estável

Separação dos outros elementos

Conexão constante com o mundo exterior

Se você está pensando em construir uma construção natural, a técnica de pau a pique é o mais natural possível, e você pode obter os materiais diretamente de sua própria propriedade.

O que é o pau a pique?

O pau a pique é uma técnica de construção composta que tem sido usada na construção de paredes há milhares de anos. Consiste em uma rede tecida que é coberta com um material de enchimento pegajoso. Este material geralmente é feito com uma mistura de argila, areia e palha.

A estrutura do pau a pique é normalmente formado por tiras de madeira ou galhos finos tecidos entre estacas verticais. Outros materiais que podem ser usados ​​como pau-a-pique incluem juncos, cipós e bambu, e também podem ser formados como painéis soltos encaixados entre estruturas de madeira.

A argila ou pique é normalmente formado por uma argamassa de lama feita de uma combinação de solo úmido, argila, areia, esterco de animal e palha.

Uma vez aplicada argamassa sobre a estrutura, às vezes em mais de uma camada, e deixado secar completamente, pode ser aplicado o cal para dar melhor resistência à chuva, aumentar sua refletância solar e melhorar seu aspecto.

O pau a pique ainda é usado em muitas regiões do mundo, mas na arquitetura moderna foi substituído por ripas e gesso para aplicações de parede e teto e, mais recentemente, por placas de gesso. No entanto, tornou-se mais prevalente novamente com o aumento da popularidade de técnicas e materiais de construção sustentáveis.

Construindo casas de pau a pique

As casas de pau a pique são construídas com uma mistura de barro, areia e palha, e são muito sustentáveis. (Foto: Wikiwand)

Vantagens do pau a pique

A quantidade de material de barro que você precisa misturar para uma casa de pau-a-pique é significativamente menor do que se você estivesse construindo uma casa de barro com paredes de 18 a 24 polegadas/45 a 60 centímetros de espessura. A construção em pau a pique geralmente pode ser concluída de forma mais rápida e eficiente do que outras técnicas de construção em terra.

Embora suas paredes de taipa não sejam mais grossas do que 4 a 6 polegadas/10 a 15 centímetros, isso não significa que você estará sacrificando qualquer tipo de solidez estrutural. Em vez disso, as estruturas de taipa e pique são conhecidas por serem extremamente anti-sísmicas. A grande quantidade de peças de madeira verticais e horizontais que são mantidas juntas por uma “cola” de terra pode suportar movimentos substanciais sem comprometer uma integridade estrutural.

Por último, as estruturas de taipa e argila também podem ser combinadas com outras técnicas naturais de construção. Por exemplo, se você quiser paredes externas mais espessas para maximizar a massa térmica, pode usar uma mistura de argila, areia e palha para as paredes externas e construir com taipa para paredes internas que ocupam significativamente menos espaço dentro de sua casa.

Uma casa de pau-a-pique durará décadas, desde que você mantenha as paredes um pouco protegidas da chuva. Estruturas de pau a pique foram construídas por diferentes culturas ao redor do mundo por milhares de anos. Contanto que você tenha uma fonte abundante de galhos de árvores, galhos, solo argiloso e água, você pode construir uma estrutura semipermanente que o manterá bem protegido de praticamente todo tipo de perigo potencial ao seu redor.

Como construir em pau a pique?

O início se dá no preparo da estrutura bruta:

Passo 1

Comece com uma construção de madeira com vigas de 6 polegadas/15 centímetros de espessura (ou mais). A estrutura de madeira precisa ter um cabeçalho e um rodapé nas paredes de madeira. O coletor nas paredes precisa de furos de 2 polegadas/5 centímetros de diâmetro perfurados com 6 polegadas/15 centímetros de profundidade e 4 polegadas/10 centímetros de distância. Repita o processo no rodapé para que os orifícios no rodapé se alinhem com os orifícios nos cabeçalhos, mas certifique-se de que os orifícios tenham apenas 3 polegadas/7,5 cm de profundidade. Nos postes laterais verticais, certifique-se de cortar uma ranhura de dado com 1 polegada/2,5 centímetros de profundidade. Consulte um profissional antes de cortar ou furar essas vigas.

Passo 2

Reúna os materiais. Você precisará de materiais fortes, mas flexíveis, para a madeira que vai para a parede. Corte as estruturas de modo que fiquem o mais compridos e retos possível. Selecione madeiras mais finas (menores que o diâmetro do polegar). Eles devem ser flexíveis o suficiente para tecer sem quebrar e grossos o suficiente para segurar o pique.

Passo 3

Você precisará de madeiras mais grossas (2 polegadas/5 centímetros de diâmetro) como suporte. Não precisam ser tão flexíveis, pois servirão de suporte estrutural para a parede. Corte essas madeiras mais grossas 6 polegada/15 cm a mais do que o espaço em que você vai colocá-los entre as paredes de madeira.

Agora, é hora de complementar a estrutura bruta:

Passo 1

Insira as madeiras de 2 polegadas/5 centímetros nos orifícios do cabeçalho totalmente para cima e, em seguida, solte as madeiras na parte inferior dos orifícios do rodapé.

Passo 2

Se as madeiras forem muito grandes ou de formato irregular, talhe a ponta para um diâmetro menor. Corte a casca em toda a volta até a profundidade desejada e incline a faca para partir a madeira no final.

Passo 3

Corte uma pequena cunha ou “calço” para martelar entre as varas de 2 polegadas e os orifícios em que estão (superior e inferior) para que fiquem bem encaixados.

Hora de começar a tecer a estrutura de sustentação:

Passo 1

Trance os palitos menores dentro e fora dos que você acabou de definir. Alterne o lado em que a tecelagem começa, conforme você tece uma camada por vez, empilhando as camadas até chegar gradualmente ao topo da parede. Depois que cada camada for colocada, bata no topo da trama com um macete. Isso ajuda a embalar a acácia, fazendo uma cesta apertada.

Passo 2

Trate as pontas da tecelagem aparando e inserindo a tecelagem no dado que você cortou. O corte pode ser feito com um cortador de membros ou as pontas podem simplesmente dobrar e ser entrelaçadas na madeira circundante, que é então inserida na soleira.

Passo 3

Teste a trama para se certificar de que é forte, pressionando cuidadosamente a trama com a palma da mão aberta. A tecelagem deve (idealmente) segurar quando você pressiona, mas lembre-se de que o pique irá adicionar reforço.

Adicionando o pique:

Passo 1

Faça um toco de argila e areia (proporção de mistura 70/30). Misture a argila e a areia com uma quantidade igual (por peso) de palha. Às vezes, sangue animal ou esterco são adicionados à mistura. Misture bem, andando em uma pilha sobre uma superfície dura. Pressione a mistura na trama dpara que o toco escorra para os cantos e fendas para uma boa aderência à trama. Empacote toda a parede assim para que a parede comece a tomar forma.

Passo 2

Conforme a parede começa a se aproximar de 4 polegadas/10 centímetros, certifique-se de que a parede é plana e plana. Você terá que fazer isso em camadas de 1/2 polegada/1,25 centímetros, permitindo que a parede seque parcialmente entre as aplicações, de modo que a parede seja forte o suficiente para ficar em pé. Certifique-se de que a parede seque completamente antes de aplicar o reboco (2 a 3 semanas ou mais se o tempo / clima for úmido).

Passo 3

Quando a parede estiver espessa o suficiente, adicione uma camada de gesso no topo da parede para alisá-la. O pirque pode ser impermeabilizado com a adição de vários ingredientes, como o cal, para evitar que a água quebre a parede. A parte de pau-a-pique da construção está pronta.

Dúvidas? Deixem nos comentários suas perguntas!

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

A mãe de André sempre gostou de fazer reformas na casa que tem em um sítio. André aprendeu com ela, e quando comprou seu apartamento, começou a projetar, reformar, e adaptar diversas coisas que não gostava. Como síndico do prédio, convenceu os moradores a trocar a rede elétrica da década de 70, trocar os extintores por modelos mais seguros, e adaptar as escadas do prédio com corrimões mais seguros. Hoje está com um projeto de um imóvel na zona rural, compartilhando no site 2 Quartos tudo que vai aprendendo sobre reformas, construção, e mercado imobiliário.

Deixe um comentário